terça-feira, 23 de março de 2010

Criador do Mundo




Meu Deus estou aqui pra te falar...
Pra confessar a ti.
Por pensamentos e palavras, atos e omissões...

Preciso reagir.


Pois tu és...

Misericórdia, salvação!

És vida...

Misericórdia, salvação!


Meu Pai,

Criador do mundo...

Meu Deus,

Redentor dos homens...

Meu Pai,

Quero tanto pedir teu perdão...



(George Silva Costa)

Para que lembremos mais de Deus...


Canção que fiz para Deus,
em uma noite,

Quando estava rezando na varanda de minha casa.
Minha esposa estava ausente, em plantão (enfermagem).
Senti vontade de tocar violão...
A inspiração veio,
e veio forte.
Em poucos minutos, estava feita a canção,
escorrendo de meus lábios pecadores...
Emoção, louvor, perdão e agradecimento.

Obrigado meu
Deus, por tudo!


Felicidades, saúde e PAZ!

Abraço's


Jesus, Maria e José,
nossa família vossa é...




domingo, 7 de março de 2010

14 de Março - Dia da Poesia



A poesia ganhou um dia específico,
sendo este criado em homenagem ao poeta brasileiro
Antônio Frederico de Castro Alves (1847-1871),
no dia de seu nascimento, 14 de março.

Parabéns a todos que lutam pela Poesia,
aos poetas, leitores, amados e amadores...
para que ela, a poesia, exista sempre...


Grande Abraço!

. . .

Confiram a programação e participem:

" I Semana da Poesia - de 8/14 de Março "

http://grupochocalho.blogspot.com/


Referência ao amigo nas letras,
Auriberto Cavalcante:

falAÇÃO

FALANDO DE CULTURA, EDUCAÇÃO, POLÍTICA
E PROMOVENDO A POESIA CEARENSE

http://auribertoeternochocalheiro.blogspot.com/




Para fechar com chave de ouro,


Falando em poesia, lembro sempre dela...



Cecília Meireles



Motivo



Eu canto porque o instante existe

e a minha vida está completa.

Não sou alegre nem sou triste:

sou poeta.



Irmão das coisas fugidias,

não sinto gozo nem tormento.

Atravesso noites e dias

no vento.



Se desmorono ou se edifico,

se permaneço ou me desfaço,

— não sei, não sei. Não sei se fico

ou passo.



Sei que canto. E a canção é tudo.

Tem sangue eterno a asa ritmada.

E um dia sei que estarei mudo:

— mais nada.